Sunday, January 20, 2013

Green Cork: Programa de Reciclagem Rolhas





A exploração da cortiça é uma referência a nível mundial de convivência da economia com o ambiente. Ela apresenta relevantes vantagens ambientais, por isso a frase, “a cortiça é verde”.

E de facto, a cortiça é um material natural, é 100% biodegradável e reciclável. E não só se gasta muito menos energia na produção de rolhas como a exploração de cortiça mantém florestas de sobreiro que capturam CO2 (4,8 milhões de toneladas por ano só em Portugal) e ainda mantêm a biodiversidade.

Poderás também visitar o nosso post Ecossistema Português na BBC (2009)




Green Cork é um Programa de Reciclagem de Rolhas de Cortiça desenvolvido pela Quercus, em parceria com a Corticeira Amorim, a Modelo/Continente e a Biological. 



O projecto tem como objectivo não só a transformação das rolhas usadas noutros produtos, mas, também, com o seu esforço de reciclagem, permitir o financiamento de parte do Programa “Criar Bosques, Conservar a Biodiversidade”, que utilizará exclusivamente árvores que constituem a nossa floresta autóctone, entre os quais o Sobreiro, Quercus suber.



Comece já a juntar as suas rolhas de cortiça! É possível ir colocar as suas rolhas de cortiça para reciclagem nos hipermercados Continente e Modelo, nos centros comerciais Dolce Vita e nos agrupamentos de Escuteiros do Corpo Nacional de Escutas. 


Green Cork is a Portuguese environmental project that aims the corks recycling.

You can visit our post Portuguese Ecosystem at BBC (2009).


Geração 'green'

20.01.2013


Creative Commons License

Saturday, January 12, 2013

Cinclus Fest - Festival de Imagem de Natureza




Cartaz


Vai realizar-se o 3º Encontro de Fotografia de Natureza e Vida Selvagem de Vouzela. 
Devdo ao sucesso das duas primeiras edições, o encontro passará a denominar-se Cinclus - Festival De Imagem De Natureza devido ao nome científico do Melro-de-água, que é emblemático da região de Vouzela/Serra do Caramulo.

Melro-de-água (Rio Vouga-Vouzela)

foto: Francisco Calado

O Festival, acolhido desde o primeiro momento pela Vila e Município de Vouzela,  realiza-se este ano nos dias 26 e 27 de Janeiro de 2013.
Todos os fotógrafos que queiram participar nesta iniciativa, num audiovisual conjunto, podem enviar as imagens (no máximo 3) com o tamanho no lado maior de 1400. 
A organização pede que as imagens sejam de qualidade e sem nome ou marca de água. 
Prazo final do envio será até 15 de Janeiro para cosmefoto@gmail.com

Poderá consultar o Programa no blogue oficial do "Cinclus - Festival de Imagem de Natureza" aqui.  
Este blogue será sistematicamente actualizado, com informações sobre os fotógrafos, portfólios e toda a programação que fará parte do evento.
Encontrá e seguir todas a notícias e actividades. Este é o blogue 

Se é amador de fotografia na Natureza, não deixe de concorrer!

Geração 'green'
11.01.2013
Creative Commons License

Tuesday, January 08, 2013

Redescoberta a planta de café "híbrido de Timor"





Café Híbrido de Timor
Foto: Pedro Nogueira

A Universidade de Évora anunciou em Dezembro 2012 ter redescoberto a planta original de café do "híbrido de Timor", identificada nos anos 60 (século XX). Foi depois "perdida" e foram os clones que permitiram criar variedades resistentes à doença da ferrugem.

A planta original do híbrido de Timor, é o resultado do cruzamento da espécie arábica. Este cruzamento, improvável, pelo facto da espécie arábica ter o dobro dos cromossomas da espécie robusta, aconteceu por um acaso da natureza em Timor Leste.

"A planta é conhecida desde os anos 60, mas, no período da ocupação indonésia de Timor, perdeu-se todo esse conhecimento e referências", 

Pedro Nogueira, Universidade de Évora (UÉ) | Lusa



Fruto café híbrido de Timor

A planta original do híbrido de Timor é um exemplar único no mundo, resistente à ferrugem do café, Hemileia vastatrix, e os seus clones e progénies foram utilizados na obtenção de variedades de café arábica resistente à ferrugem, como o Catimor. Estas novas variedades de cafés arábicos permitiram a melhoria e mesmo a salvação de vastas plantações de café arábica em todo o mundo.

“Os países produtores de cafés arábicos têm para com Timor, e também para com aqueles que souberam avaliar os seus méritos e depois o estudaram e trabalharam, uma dívida sentimental de gratidão pela cedência deste “Híbrido de Timor”, porque a partir dele se prepararam cultivares com bom potencial produtivo e resistentes às ferrugens, que hoje constituem a base da cafeicultura mundial dos arábicos” 



Esse "exemplar único no mundo", ou seja, "a planta original do 'híbrido de Timor'", foi agora redescoberta, graças a um projecto que envolve os departamentos de Geociências e Economia da UÉ, a Universidade Nacional de Timor Lorosae (UNTL) e o Centro para a Investigação da Ferrugem do Café, em Lisboa. 

"A UÉ já colabora com Timor desde 2000, em várias áreas de investigação, como a agronomia. Nesse âmbito, iniciamos este projecto em 2009 e conseguimos, este ano, identificar a planta"

Pedro Nogueira, investigador UÉ

O original do “híbrido de Timor” foi encontrado junto a uma aldeia timorense, “no meio de uma floresta de café não ordenada, sem qualquer protecção ou referência.”

"Para além do valor histórico, patrimonial, botânico, biológico e de herança ou de legado, que deverão ser aproveitados da forma mais apropriada pelo governo de Timor-Leste, da planta original do híbrido de Timor deverão ser colhidas as sementes para continuarem a serem utilizadas na investigação com vista à obtenção de novas variedades de café arábica resistentes à ferrugem e às doenças que afectam o fruto do café, a cereja."

The original coffee plant of "híbrido de Timor" has been rediscovered in December 2012 by a team of investigators of Universidade de Évora - (Portugal), and Universidade Nacional de Timor Lorosae (UNTL).

Geração 'green'

08.01.2013

Creative Commons License

Créditos vídeo: Pedro Nogueira | Universidade de Évora

Referência:

Com Universidade Nacional de Timor Lorosae UÉ encontra a planta original do híbrido de Timor | UELine