Sunday, December 03, 2017

Esquilos Vermelhos em Portugal ? Sim, eles voltaram !





Esquilo vermelho
créditos: Peter Trimming
Em Portugal, os esquilos estiveram extintos durante centenas de anos, por falta de habitat. Mas na década 80 começaram a atravessar a fronteira pelo Minho e já chegaram ao Tejo, onde se encontram fora de perigo. 
Ao todo, nos últimos anos, foram feitos 1.400 avistamentos de esquilos-vermelhos entre o Rio Minho e o Rio Tejo, revelou a Universidade de Aveiro em comunicado hoje, dia 22 Novembro 2017.






Esquilo vermelho
créditos: Hugo de Sousa
“Os esquilos estão definitivamente de volta ao território nacional”, 
Universidade de Aveiro, comunicado médias
No comunicado enviado às redações, partilha-se as conclusões do estudo do Departamento de Biologia (DBio) da Universidade de Aveiro sobre a distribuição do esquilo-vermelho. 
A equipa de investigadores lançou um inquérito online e contou com a ajuda de várias centenas “de cidadãos anónimos que nos últimos anos avisaram os investigadores sempre que viam o simpático animal”.




Esquilo vermelho
créditos: Hugo de Sousa
O resultado? 1.400 avistamentos, um resultado que foi publicado no último número da revista European Journal of Wildlife Research.
“Comparativamente ao estudo anterior, realizado em 2001 e que indicava que o esquilo ocorria apenas a norte do rio Douro, verifica-se hoje uma grande expansão desta espécie nas últimas duas décadas”, 
Rita Gomes Rocha, bióloga 




Esquilo vermelho
créditos: Luis Ribeiro
via Esquilo Vermelho em Portugal Facebook
A coordenadora do estudo aponta ainda a boa notícia de “existirem alguns registos esporádicos a sul do rio Tejo, que podem indicar uma contínua expansão em locais onde existe habitat e recursos disponíveis para o esquilo”.
Este roedor anda sobretudo pela copa das árvores e embora se chame esquilo-vermelho, a sua cor varia do castanho ao preto.





Projecto Esquilo Vermelho
Projeto Esquilo Vermelho foi lançado em 2014 pela Unidade de Vida Selvagem da UA e baseia-se “na cidadania ativa na recolha de dados científicos, ou a chamada Ciência Cidadã”.





Squirrel
credits: Simbe 90
In Portugal, the red squirrels have been extinct for hundreds years, due the lack of habitat. But in the 1980s they started crossing the border from Spain to Portugal through the Minho, on the north and have already reached the Tagus river.

Now the squirrels are out of danger and can stay and survive in Portugal.





Red Squirrel in Portugal
credits: Paulo Loureiro

Since the 80's until 2017 1 400 sightings of red squirrels have been detected between the Minho River, on the north, and the Tagus River, on the center, said the University of Aveiro in a statement last November 22, 2017.

The Red Squirrel Project is the responsable of the project and it belongs to the University of Aveiro, Department of Biology /DB.

Wonderful neews! We are nature defenders of nature and of course of the species.

Geração 'green'

03.12.29017

Creative Commons License

Referências:
Wilder/ Natureza
Obervador/ Animais

Saturday, December 02, 2017

Geração Verde : Apresentação projecto






Earth Day 2008

No dia 22 de Abril celebrou-se o Dia Verde 2008. O dia 22 de Junho é denominado Dia do Planeta ou Earth Day.

O projecto Os Torrinhas Verdes, hoje Geração Verdenasceu da proposta da Professora Gina Souto aos seus alunos, aprendizes ambientalistas para participar nas actividades de Earth Day 2008.

Um evento que teve origem nos Estados-Unidos e que junta, neste momento, cerca de oitocentos e cinquenta e oito mil participantes de vários países a nível mundial.

Os Green Torrinhas estão inscritos desde 14 de Janeiro de 2008. São alunos das Turmas G|H|I do 5º Ano da Escola Francisco Torrinha (Portugal) que desenvolvem actividades curriculares e extracurriculares de intervenção ambientalista na comunidade escolar, nos curriculos Língua PortuguesaCidadania, dois vastos campos abertos à intervenção e à criatividade.

As suas convicções ambientalistas começaram com a participação no Ano Polar Internacional 2007-2008.






ICT & curricula

Os Torrinhas Verdes | Geração Verde adquiriram assim competências no domínio das TIC inseridas nos currículos de Língua Portuguesa, Cidadania, adquirindo aprendizagens em tempo curricular e extracurricular.

O blogue Geração Verde foi criado por um grupo voluntário de alunas e alunos que, coordenado pela Professora Gina Soutose reúne em horas extracurriculares, como actividade de enriquecimento curricular.

Nas aulas, todos os alunos se dedicaram a Actividades que foram desenvolvidas até ao dia 22 Abril - Dia Verde 2008

Entre outros projectos, organizaram um Jornal de Parede nos placares de salas das respectivas turmas que foi sendo actualizado semanalmente por grupos alternados de alunos, devidamente escalonados.

Durante a semana de 17 de Abril a 21 de Abril festejaram então a Semana Verde em toda a comunidade escolar que culminou nos dias 20-21 de Abril com o Dia Verde 2008.



This blog Geração Verde (Green Generation) is a students' project in collaboration with the Teacher Gina Soutoo as a tutor and e-tutor in extra activities in Languages curriculuminspired by Earth Day 2008. This blog published by a group of young environmentalists students who participated in Earth Day activities from 2008 to 2010.

Geração Verde blog created in Languages cross-curricular - Portuguese mother language and French foreign language - was published by young students of a secondary school in Porto, Portugal, as a participation at Earth Day activities for some years (2007-2010). 

"Earth Day Network is a global leader in promoting environmental education and green schools. Our award-winning Educator's Network provides resources for teachers educating for a sustainable future"



Now, only a small group of students and  me, as e-tutor, continue this project Geração Verde (Green Generation) and Geração Polar (Polar Generation).

Geração Polar blog (Polar Generation) was developed as a pedagogical extra-curriculum activity in Languages and Civics curriculum, created as a participation at the International Polar Year 2007-2008 (IPY). 

Students are publishing stories, some news, events, photos and videos concerning "Environmental Education" and me as e-tutor, when we have some free time. 

I don't teach face-to-face anymore at school neither the students are studying at the same school. They grew up. They are in College now.

Together in collaboration, we meet on the internet, and continue both blogs Green Generation and Polar Generation by pleasure as young environmentalists.


A Professora | The Coordinator

G-Souto

27.03.2008

Creative Commons License

Actualizado em 03.12.2017
Updated December 3,2017


Sunday, November 12, 2017

Vamos ! Plantar Portugal... com espécies autóctones !





http://www.plantarportugal.org/


A 8ª Edição da 'Semana da Reflorestação Nacional' é uma iniciativa que se realiza todos anos por altura da celebração do Dia da Floresta Autóctone.


Desde 2011 que participámos neste evento, não só na divulgação, como no apoio à reflorestação de Portugal, este ano tão dizimado pelos fogos.





Portugal 2017
créditos: REUTERS/Rafael Marchante

Segundo o relatório do ICNF "A base de dados nacional de incêndios florestais (Sistema de Gestão de Informação de Incêndios Florestais – SGIF) regista, no período compreendido entre 1 de Janeiro e 31 de Outubro de 2017, um total de 16.981 ocorrências (3.653 incêndios florestais e 13.328 fogachos) que resultaram em 442.418 hectares de área ardida de espaços florestais, entre povoamentos (264.951ha) e matos (177.467ha)".


(...)

"O ano de 2017 apresenta, até ao dia 31 de outubro, o 6.º valor mais elevado em número de ocorrências e o valor mais elevado de área ardida, desde 2007. Até 31 de outubro de 2017 há registo de 1.446 reacendimentos, menos 8% do que a média anual do período 2007-2016.(...)







Portugal 2017
créditos: Miguel Vidal

Vimos centenas de imagens de florestas queimadas. E sentimo-nos impotentes perante tal devastação. 






Mata Nacional de Leiria
Pinhal do Rei
créditos: LUSA


Nem o secular Pinhal de Leiria se salvou. Recorde-se que nesse fim-de-semana, 80% da Mata Nacional de Leiria ardeu devido aos incêndios. O Pinhal de Leiria, ou do Rei, com 700 anos, pertence ao Estado. 






"A destruição em 24 horas do que demorou 700 anos a construir... Não gostamos de o ver assim queimado, despido e escuro... Que o povo que tem aqui raízes tenha vontade de o renascer!", escreveu a página da empresa de fotografia, vídeo e design. O vídeo da empresa Creative Eye partilhado no Facebook mostra árvores queimadas, vegetação destruída e várias áreas cinzentas. 




A edição deste ano 
decorre entre 15 e 30 de Novembro. Durante este período, a organização convida cidadãos, escolas, freguesias e municípios das diferentes regiões a unirem-se para Plantar Portugal, dedicando um dia à reflorestação do país e à defesa e promoção das espécies autóctones.






Reflorestação espécies autóctones
créditos: Miguel Manso/ Arquivo


Neste ano, em que os incêndios florestais afectaram dramaticamente o nosso país, considera-se ser da maior importância aproveitar esta iniciativa para se restitui parte do que foi perdido e prestar uma homenagem a todas as vítimas deste flagelo nacional.

"Consideramos também ser urgente que, para além do reforço das acções de prevenção dos incêndios florestais, seja estabelecida uma estratégia nacional que aposte de forma decisiva e inequívoca no reordenamento florestal e na revitalização económica e social do interior de Portugal."

Convidam-se pois todas as p
essoas, adultos e jovens estudantes que se preocupam com o meio ambiente e sintam que é importante participar neste desígnio nacional, a dar o seu contributo em prol da defesa da biodiversidade e promoção da floresta autóctone portuguesa.








Na Semana da Reflorestação Nacional - Uma iniciativa de Reflorestação Nacional do Movimento Plantar Portugal a Defender a Floresta e a Reflorestar Portugal, todos  vamos juntar-nos ao movimento e durante uma semana iremos ao encontro da floresta para a Vivenciar, Proteger e Plantar Portugal, respeitando a biodiversidade e as espécies autóctones.

Participa neste movimento nacional de cidadania activa, que pretende unir a sociedade em torno do desígnio de tornar Portugal um país mais sustentável, através da valorização das Florestas, Agricultura e Meio Ambiente. 

Convida amigos e familiares a juntarem-se ao movimento para que sejamos cada vez mais a "lançar sementes para um futuro mais saudável, ecológico e sustentável para todos".





Incendies au Portugal, octobre 2017
crédits: pompier Hélio Madeira

Cet été, et début automne (octobre), des gigantesques feux de forêt ont fait plus de 100 morts et et un numéro assez granddans le nord et centre du Portugal.

Dans le centre du Portugal, la plupart des victimes ont été piégées par les flammes dans leurs voitures, en essayant de s'epacher des feux.

Des milliers de pompiers et l'Armée et plus de 800 véhicules, helycopthères et canadairs venus de pays européens, ont été mobilisés pour contrôler les incendies qui ont duré des semaines.



Vouzela Portugal
credits: Pablo Blazquez Dominguez/Getty Images


"Malheureusement, c’est sans doute la plus grande tragédie que nous ayons connue ces dernières années sur le front des incendies de forêt".
Plusieurs villages ont été touchés et plans d’évacuation ont été mis en œuvre pour certains d’entre eux.
Un deuil national fut décrété deux fois, en août et en octobre 2017.



Le mouvement Plantar Portugal qui a lieu pour la 8e fois, appelle cette année à une participation massive des citoyens, et écoles de tout le pays à venir planter un arbre des espèces autoctones afin de reboiser les forêts et bois du Portugal.
Si vous habitez au Portugal ou faites du tourisme local, venez vous aussi vous joindre à ce mouvement dans la région où vous habitez ou visitez. 
Merci à tous !
Geração 'green'
12.11.2017
Creative Commons License

Friday, October 20, 2017

Cadela Lulu foi 'despedida'... mas já tem novo tutor !





Lulu

Lulu, uma cadela labrador de cor preta que pertencia ao grupo de cães do programa K9 da CIA, deixou claro que não estava interessada em procurar explosivos. Por isso, foi "despedida".

Os treinadores do programa K9 têm uma premissa: os cães têm de saber o que estão a fazer. 

Mas, nem todos os cachorros demonstram aptidão para as tarefas que lhes saó apresentados. Este foi o caso de Lulu, uma cadela labrador de cor preta que não aprendeu a encontrar explosivos.




Lulu

Umas semanas depois de ter iniciado os treinos, Lulu começou a mostrar que não estava interessada em detectar explosivos, poder ler-se num comunicado da CIA
Contudo, os cães em treino também têm 'dias maus', como qualquer estudante. Por vezes a preguiça impera e os dias não são rentáveis. Mas isso dura  um dia ou dois. 
No caso de Lulu, tal não se verificou. Não havia mesmo nada a fazer! Assim, os treinos foram dados por terminados.
Mesmo incentivada, como comida, por exemplo, Lulu não mostrava interesse. Lulu não nasceu para trabalhar na CIA. 
Os treinadores, que preservam sempre o bem-estar dos animais, optaram por tomar a difícil decisão de a 'despedir' do programa k9.
"Vamos sentir a falta da Lulu, mas esta foi a melhor decisão para ela", escreveu a CIA.

Lulu passa o tempo junto do seu melhor amigo Harry
créditos: CIA
Esperem! Esta história tem um final feliz! Lulu encontrou um novo dono. 
Quando os cachorros saem do programa, há a possibilidade de serem adoptados pelos treinadores. Foi o cso de Lulu. 
Os cães são os seus companheiros e tornam-se parte da família", lê-se no comunicado. 
Wow! Ficamos felizes com esta adopção. Afinal, todos nós temos as nossas capcidades. Não somos todos iguais. E Lulu preferiu uma vida mais caseira.



Lulu

For our K9 trainers, it’s imperative that the dogs enjoy the job they’re doing. Sometimes, even when a pup tests well and they successfully learn how to detect explosive odors, they make it clear that being an explosive detection K9 is not the life for them. 




Lulu

Such is the case for one of the fall 2017 “puppy class” pups. We are sad to announce that Lulu has been dropped from the program.

When a dog is dropped or retires from our program, the handler or handler’s family is given the chance to adopt them. Most handlers, of course, choose to do so. 

The dogs are their partners and have become members of their family, even after just a few weeks of training together.




Lulu plays in the backyard

Lulu was a adopted by her loving handler, who had the chance to work with her during imprint training. She now enjoys her days playing with his kids, sniffing out rabbits and squirrels in the backyard, and eating meals and snacks out of a dog dish. 

We’ll miss Lulu, but this was the right decision for her. We wish her all the best in her new life. 

We are happy to know Lulu now feels good now at home!

Geração green

20.10.2017

Creative Commons License

Sources: Sapo/ Actualidade/ CIA/ News & Information